Cobertura Jardim Paulistano

 Projeto que conta com a verticalização e o paisagismo modular para o condicionamento da paisagem. Utiliza palmeiras nativas como elemento conservacionista e contempla um jardim funcional sobre a mesa do espaço gourmet.

01

foto: Maíra Acayaba

02

foto: Maíra Acayaba

03

foto: Maíra Acayaba

04

foto: Maíra Acayaba

05

foto: Maíra Acayaba

06

foto: Maíra Acayaba

07

foto: Maíra Acayaba

08

foto: Maíra Acayaba

09

foto: Maíra Acayaba

10

foto: Maíra Acayaba

11

foto: Maíra Acayaba

VEG_9_PAV

VEG_9_PAV

JARDIM_VERTICAL_

\Servidorgoescritório_PROJETOS_ATUAISLuiz Flávio Gomes_LG

16

17

 

Conceituação Paisagística

Esse projeto, assim como outros concebidos por nossa equipe, tem como preceito elementar a criação de ilhas de conservação de biodiversidade vegetal em meio antrópico, que consiste em replicar os arranjos vegetacionais do meio natural em áreas de concepção paisagística em meio urbano de maneira organizada, com propósitos estéticos e de incremento arquitetônico. Temos, assim, como produto final um projeto bem fundamentado e em harmonia à sua localização, de baixa demanda de manutenção e que promove a ecogênese.

A área tem como bioma correspondente a Mata Atlântica, que é caracterizada por formações vegetacionais tropicais úmidas em sua maioria, mas também apresentando porções campestres e transicionais a outras conformações vegetacionais. Mais especificamente, a residência está localizada no Jardim Paulistano, em São Paulo, entre o Espigão da Paulista e o Parque Ibirapuera.

Assim sendo, tomando os pavimentos do apartamento como ao do relevo natural, temos no 8º pavimento, mais especificamente no jardim interno, a formação de um vale hidromórfico vegetado por plantas tenras de porte herbáceo ou arbustivo, porém sempre de sub-bosque, pois são sombreadas por palmeiras nativas (Palmito Jussara) originárias dos vales úmidos da Mata Atlântica. Já no 7º e no 9º pavimento, a formação natural simulada é a de campos rupestres de altitude, onde encontramos espécimes arbustivos de folhas ásperas, além de trepadeiras e algumas epífitas, plantas que suportam forte insolação.

Desta forma é possível reconstituir as relações fitossociológicas que a natureza vem evoluindo e refinando há milhões de anos. Este é um exemplo de como o paisagismo pode ser utilizado como uma eficiente ferramenta de gestão e melhoria ambiental.

O conceito de ocupar quase em 100 por cento as paredes das áreas externas com jardim verticais otimiza o espaço para o uso e ao mesmo tempo proporciona uma grande área verde que envolve os espaços internos. As janelas praticamente viram quadros emoldurando a paisagem e criando uma continuidade do jardim com as áreas verdes do entorno.

conclusão projeto: 2014
conclusão execução: 2014
local: São Paulo-SP
arquitetura: Casa 14

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s